Assim...

É assim que te quero, amor,
assim, amor, é que eu gosto de ti,
tal como te vestes
e como arranjas
os cabelos e como
a tua boca sorri,
ágil como a água
da fonte sobre as pedras puras,
é assim que te quero, amada,
Ao pão não peço que me ensine,
mas antes que não me falte
em cada dia que passa.

Da luz nada sei,
nem donde vem
nem para onde vai,
apenas quero que a luz alumie,
e também não peço à noite explicações,
espero-a e envolve-me,
e assim tu pão e luz
e sombra és.
Chegastes à minha vida
com o que trazias,
feita de luz e pão e sombra,
eu te esperava,
e é assim que preciso de ti,
assim que te amo,
e os que amanhã quiserem ouvir
o que não lhes direi, que o leiam aqui
e retrocedam hoje porque é cedo
para tais argumentos.
Amanhã dar-lhes-emos apenas
uma folha da árvore do nosso amor, uma folha
que há de cair sobre a terra
como se a tivessem produzido os nosso lábios,
como um beijo caído
das nossas alturas invencíveis
para mostrar o fogo e a ternura
de um amor verdadeiro.
Pablo Neruda

Intimidade...

Sonhamos juntos
juntos despertamos
o tempo faz e desfaz
entretanto
não lhe importam teu sonho
nem meu sonho
somos trôpegos
ou demasiados cautelosos
pensamos que não cai essa gaivota
cremos que é eterno este conjuro
que a batalha é nossa
ou de nenhum
juntos vivemos
sucumbimos juntos
porém essa destruição
é uma brincadeira
um detalhe
uma rajada
um vestígio
um abrir-se e fechar-se
o paraíso
já nossa intimidade é tão imensa
que a morte a esconde em seu vazio
quero que me relates
o duelo que te cala
por minha parte
te ofereço minha última confiança
estás sozinha
estou sozinho
porém às vezes
pode a solidão
ser uma chama
...
Mário Benedetti

Renunciar como?

Não penso mais em renunciar-te.
A hipótese de viver sem você me leva a uma única conclusão:
Viverei sozinho o resto da vida.
Meu amor encontra eco somente na sua direção.
Meu amor encerra-se em ti.

Brincar de amar, se apaixonar, é muito fácil.
Difícil é renunciar ao mais puro e sincero amor,
Aquele que aquece o peito e conforta a alma,
Aquele que não pede licença,
Que transcende o tempo e fica mais forte.

Quando duas almas nutrem o mesmo sentimento
É impossível renunciá-lo.

Não adianta procurar...


Seria a crise ou as diferenças?

Hoje fui tomado de surpresa, quando uma estimada companheira anuncia o meu desligamento das funções, uma delas. Seria eu um dos cidadãos que começam a ser afetados pela crise? Neste caso não. As justificativas são outras. Mas o que importa mesmo é que considero produtiva minha estada, acreditando que cumpri muito bem o meu papel. Diferenças são apenas diferenças. Agradeço por tudo. Lamento a falta de visão estratégica, de planejamento, direção, enfim, lamento pelo espontaneismo.
A luta continua.
Alguém me fala, reiteradamente,
Que isso tudo é muito lindo...
Que não há razão para desistir...

Bem...

Faço o que tenho vontade de fazer,
Busco o que acredito ser a minha verdade.

“Todos têm suas próprias razões”
Ou não?

Imagem:www.derekmccrea.50megs.com


Por muito tempo achei que a ausência é falta. E lastimava, ignorante, a falta. Hoje não a lastimo. Não há falta na ausência. A ausência é um estar em mim. E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços, que rio e danço e invento exclamações alegres, porque a ausência, essa ausência assimilada, ninguém a rouba mais de mim.

Drummond, de novo!!!

Ficou só pra mim...

Falar é completamente fácil, quando se têm palavras em mente que expressem sua opinião.

Difícil é expressar por gestos e atitudes o que realmente queremos dizer, o quanto queremos dizer, antes que a pessoa se vá.

Carlos Drummond de Andrade

“O pior dos problemas
da gente é que ninguém
tem nada com isso”.

(Mário Quintana)



Verdade absoluta.

Também aprendi que todo problema que criamos em nossa mente, fruto de nossas relações humanas, é facilmente superado quando conseguimos colocar cada questão, cada sentimento, cada ação, cada fato, na sua justa posição. A leveza que sentimos é algo inefável.

Feliz Ano Novo
para todos nós!