Seria a crise ou as diferenças?

Hoje fui tomado de surpresa, quando uma estimada companheira anuncia o meu desligamento das funções, uma delas. Seria eu um dos cidadãos que começam a ser afetados pela crise? Neste caso não. As justificativas são outras. Mas o que importa mesmo é que considero produtiva minha estada, acreditando que cumpri muito bem o meu papel. Diferenças são apenas diferenças. Agradeço por tudo. Lamento a falta de visão estratégica, de planejamento, direção, enfim, lamento pelo espontaneismo.
A luta continua.

Nenhum comentário:

Postar um comentário