Jornalista sem diploma, pode! Já advogado e juiz, não pode!

E assim caminha a humanidade...
O Supremo Tribunal Federal acatou o recurso interposto pelo Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão de São Paulo. Com isso, o STF pôs fim a uma conquista de 40 anos dos jornalistas e da sociedade brasileira. Não é mais obrigatório a exigência de diploma para exercício da profissão.
...

Então...
Podemos abrir várias frentes de trabalho, ampliando nossas possibilidades de prestação de serviço. Um consultório de psicologia. De fonoaudiologia. De medicina. De contabilidade. E até mesmo um escritório de advocacia...

...
Não tenho diploma de nada disso.

Mas e daí.
...
Acho que tenho aptidão para ouvir e reencaminhar a vida das pessoas; paciência e técnicas apuradas para fazer qualquer um falar; Faço extração de unha encravada que é uma beleza. Pra fazer uma cirurgia é um já. Sei contar (especialmente os dias em que sobre mês e falta salário).
Além disso, posso arrumar argumentos contra e a favor de qualquer coisa. Dei uma lida na Constituição, no Código Civil, na Lei Orgânica da Cidade, no Código de Defesa do Consumidor, no Estatuto do Idoso, da Mulher, da Criança e do Adolescente, na Lei 8080 - do SUS, da LDB, entre outros regulamentos da vida.
Nossa! Sou quase completo. Só não posso me candidatar a uma das inúmeras cadeiras de Juízes. Mas quem sabe, qualquer dia desses, não precise mais faculdades de direito. Quem sabe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário