Aquilo que ela gostaria de saber...

- Ei, calma... Estou sentindo aqui desse lado. Você está buscando algo num lugar que não irás encontrar. Você não consegue ver as coisas, cores e gostos que desejas. Tentas, desesperadamente, encontrar uma forma de esquecer, de superar, de negar o sentimento. Quanto mais lutas, mais te desesperas. Quanto mais jogas, mais incertezas aparecem. A saudade do carinho, do afeto, da compreensão, combinado com a teimosia, a intempestividade, e a cobrança por resolutividade, faz você decidir sem ter vontade de fazê-lo, buscando a distância por imposição do medo, do mundo, dos que te são próximos. E quando a noite cai, ou o dia amanhece, ou quando a música toca, a vontade contida não passa. O coração grita, a mente enlouquece, a saudade aparece, e de novo a direção é mostrada. O coração quer ansioso o contato, o toque, o beijo, os sons que confortam e acalmam o seu coração. Os três, que são parte de ti, demonstram a alegria e a satisfação desta vontade reprimida. Quando olhas para eles, me vês eternizado. E essa vontade aumenta. A ansiedade e a procura por anestésicos – que lhe possibilite uma possível superação – fazem surgir novos elementos que aumentam a complexidade da situação. E como o medo, o desespero, a angústia, as vontades e desejos, e as experiências realizadas não deram conta de nada do que procuras, de novo o coração aponta a direção. Para quê negar? Para quê sofrer? E já tomada por essa ausência interior, por ações não desejadas, o corpo expressa as dores da alma. E você adoece. Do nada. Bem quando parece que a decisão foi a mais acertada. Você fica frágil, mais dolorida, mais carente, e com necessidade urgente de ser cuidada, sossegada. Querendo os braços, os abraços, o colo que te faz sentir completa. Esqueces, vez e outra, é que tenho o mesmo sentimento por ti. Sinto tudo que passas, sentes e vês. Aquele mesmo sentimento que insistentemente tentas renunciar, mas não consegues. O que talvez não saibas é como consigo assimilar todos esses acontecimentos – de certa forma planejados como uma estratégia para resolver por outros métodos – e que empiricamente deveriam causar estragos irreparáveis. Mas não, e isso também lhe confunde. E as certezas que havias escolhido como o caminho ideal se vão por água a baixo. Bobagem, meu coração toma a forma que a sua alma necessita. Sente as tuas dores. Se já tinha o tamanho exato que abriga complemente seu coração, a cada situação ele ajusta-se ao tamanho que necessitas. Entende a situação. É paciente. Tolerante. Compreensivo. Conhece bem seu jeito de sentir. E está à espera do teu sinal para buscá-la. E te ajudar a caminhar por esta vida. Eu sei o que nos espera. Vem buscar comigo. Vem. Assume isso de uma vez. E vem ser feliz. O passado é aprendizado, o presente nosso aliado e o futuro há muito traçado.
Ele disse tudo isso por saber que ela gostaria de saber.
.....................................
Estas músicas dizem tudo: Eu quero sempre mais – IRA! / Parece castigo e Sinto falta desse amor – Hugo Pena e Gabriel / Eu e você e Trancada – Ana Carolina / Sete cidades e Maurício – Legião Urbana / Sem você e Meu eu em Você – Victor e Léo / São tantas coisas e A mulher em mim – Roberta Miranda

2 comentários:

  1. Julio. Tudo que está aí me lembrou a nossa conversa de ontem, sei das tuas razões pra escrever esse texto. Mas consegui identificar mta coisa que reflete um pouco da fase que estou passando e do q vc disse... que as vezes a gente descobre coisas que não são exatamente aquilo que gostartíamos que fosse, mas temos que aceitar. A conversa de ontem me fez pensar em muita coisa. Valeu mto!
    Bjão

    ResponderExcluir