Tem gente, e daí?


...
Se não te perdestes,
Apenas te desencontrastes,
Não foi por falta de sinalização,
De indicação,
Alguém assoviando,
Cantando,
Recitando a melodia
[que não era entendida]
Estendendo a mão.

Se é a solidão que arbitras
Como caminho seguro e preferente
Esqueces das sementes que um dia plantastes
Que de ti brotaram, te espelham, e esperam
O teu abraço, a tua força, mesmo com cansaço

Mas quero que tua alma escute
O que vou te falar:
Quando vimos o labirinto
Jogamos juntos uma corda
Justamente pra lembrar o caminho
Se por acaso o destino
Insistente alucinação
Fizesse da vida
Esse tolo desatino
...

De nenhum lugar


Traduzo teu olhar
Em algo muito distante
Singular
Em cada instante perdido
Sofrido
Querendo muito dissolver-se
Fugir
Perdendo-se no tempo

A memória em disparada
Ativa
Seletiva
Ainda guarda lembranças
Esperança esquecida
Mas viva
Não pare
Viva
...

Redoma...


Estava tudo combinado:
Nunca se deixar,
Eternamente amar,
E disso sempre lembrar.
...
Meu corpo perdido no teu.
Teu calor acendendo o meu.
Coisas difíceis de explicar.
...
Contudo,
O tempo esqueceu de avisar,
Sem brisa.
Só lembranças.
E o mar.
...

Lá fora...

...
Lá fora onde o tempo é esquecido
Onde a vida se iguala ao sonho
Lá fora onde tudo nem faz sentido
Onde estar em mim eu me proponho

Lá fora onde o vento me leva
Onde meus passos são gigantes
Lá fora onde estar eu me atreva
Onde eu sou dona dos meus instantes.

Lá fora onde sou um pássaro sozinho
Onde descansar quero sem demora
Irei buscar em mim o meu caminho
para saber o que eu sou agora.
...