Lembrando que nunca esqueço...

16 comentários:

  1. Algumas coisas não dá pra se esquecer mesmo.

    Eu e vc é um conjunto perfeito. Uma combinação de duas vidas que se tornaram uma só.
    Esse eu e vc é perfeito.

    Beijos, Júlio.

    ResponderExcluir
  2. Bom este "eu e vc" duas metades que formam um sentimento inteiro!
    Um abraço Júlio!

    ResponderExcluir
  3. Ah! Lembranças. Lembrar é ter a oportunidade de vivenciar novamente.


    Um beijooo, bom domingo!

    ResponderExcluir
  4. Achei a imagem intrigante...
    duas pessoas presas...
    uma em verde...
    uma em vermelho...
    presas no mesmo fio...
    qualquer semelhança com a vida de alguém é mera coincidência...
    Um lembrete com muitos significados...
    beijo
    Leca

    ResponderExcluir
  5. Júlio
    Gostei...o EU e TU, às vezes dá NÓS.

    Beijinhos
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  6. passando pra admirar sua criatividade, e desejar um ótimo domingo!

    ResponderExcluir
  7. Porque ser mais que um as vezes acaba atrapalhando.

    ResponderExcluir
  8. isso me lembra aquela música que diz:
    "Vou te contar
    Os olhos já não podem ver
    Coisas que só o coração
    Pode entender
    Fundamental é mesmo o amor
    É impossível ser feliz sozinho..."


    beijo

    ResponderExcluir
  9. Simples... mas é tudo!
    Perfect!
    Bjos
    =D

    ResponderExcluir
  10. Julio,
    O eu e o tu nem sempre formam o nós.
    É preciso que os dois termos estejam perfeitamente equacionados dentro da Lei Universal para que o resultado "nós" seja verdadeiro e único.
    Beijo grande.

    ResponderExcluir
  11. Ai que coisinha mais linda....metades que se encontram e formam um todo....
    lindo..
    bjokas

    ResponderExcluir
  12. Oi amigo!!!

    O que está tatuado no coração, jamais será esquecido!!!

    bom semana!!
    beijosssssssss

    ResponderExcluir
  13. Tem coisas que são realmente difíceis de esquecer!


    bjooos

    ResponderExcluir
  14. Por mim, e por vós, e por mais aquilo
    que está onde as outras coisas nunca estão,
    deixo o mar bravo e o céu tranqüilo:
    quero solidão.

    Meu caminho é sem marcos nem paisagens.
    como o conheces? - me perguntarão.
    Por não ter palavras, por não ter imagens.
    Nenhum inimigo e nenhum irmão.

    Que procuras? Tudo. Que desejas? - Nada.
    Viajo sozinha com o meu coração.
    Não ando perdida, mas desencontrada.
    Levo o meu rumo na minha mão.

    A memória voou da minha fronte.
    Voou meu amor, minha imaginação
    Talvez eu morra antes do horizonte.
    Memória, amor e o resto onde estarão?

    Deixo aqui meu corpo, entre o sol e a terra.
    Beijo-te, corpo meu, todo desilusão!
    Estandarte triste de uma estranha guerra...


    Quero solidão.

    Cecília Meireles

    ResponderExcluir