Meia Hora

Meia hora atrás
Pensava como seria
Se ao final do dia
Eu pudesse te ver
...
Meia hora atrás
Relendo a poesia
Fiquei quietinho
Precisando crer
...
Meia hora atrás
Olhando a fotografia
Pensava que um dia
Eu pudesse te ter

Menino sem asas

Desde pequeno
Imagino o mundo
Visto de cima
[Faço isso sempre]
Saio correndo
Em passos apressados
E num salto estou a flutuar
...
A meia altura
Não mais do que isso
Viajo por entre as ruas
Esquinas e encontros
...
E de novo
[Leve e sereno]
Percebo-me nos teus braços
E quando vejo
Estou novamente a voar

...


Essa é a sina
Que é tormento e fascínio
Loucura e delírio
A metade, meu todo
Onde tudo posso encontrar
...
Que lugar é esse
[Que sombra é essa]
Que espanta e se dissipa
Que aperta a alma
[hesita]
Mas finge acreditar
...
Considero a velha estrada
Perseverante
[Ou só de metido]
Ombros largos têm sua razão
Na mão esquerda uma rosa alvinegra
A outra
Na contramão

Minhas armas


...
Exercitei a paciência,
A tolerância
E tenho como hábito assim fazer
...
Esta guerra,
Silenciosa,
É apenas mais uma
E não me vejo vencido
...
Virtude não é simples contraponto
É essência lapidada
Nos corredores longos da vida
...