Minhas armas


...
Exercitei a paciência,
A tolerância
E tenho como hábito assim fazer
...
Esta guerra,
Silenciosa,
É apenas mais uma
E não me vejo vencido
...
Virtude não é simples contraponto
É essência lapidada
Nos corredores longos da vida
...

21 comentários:

  1. É verdade lapidamos a virtude em cada pequeno pedaço de nossas vidas. Bjos achocolatados

    ResponderExcluir
  2. Moço, essa guerra interna é uma constante.
    Mas é aprendizado, não é mesmo?
    Quem disse que seria fácil crescer...

    =D

    Beijo e muito obrigada!

    ResponderExcluir
  3. Júlio
    Lindo teu texto, realmente passamos a vida a lapidar os sentimentos.
    Desejo uma Páscoa feliz.

    Beijinhos
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  4. Eu vivo uma guerra interna em dentro de mim, onde é apenas eu lutando contra as milhares de lembranças que carrego que fazem eu guerrear contra elas... Ah se as pessoas fizessem do amor algo mais simples... Snif...

    Abração...

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Julio,

    Ótimas armas, com elas o único vencedor será sempre voce!Parabéns...

    "A Páscoa não é apenas um momento de reflexão, mas de renovação, da fé, dos costumes, de nossas atitudes diante do universo que nos rodeia."

    Boa Páscoa!!

    Beijos,

    Reggina Moon

    ResponderExcluir
  7. Não é fácil enfrentar essa guerra que travamos com nosso interior, mais as vezes é preciso para que possamos nos fortalecer e aprender a sábia paciência!
    Um beijo Júlio!

    ResponderExcluir
  8. é verdade, poeta...
    descobrir a virtude em nós próprios é percorrer um caminho mais longo.
    a beleza maior da vida está, justamente, na caminhada.
    abração, julio.

    ResponderExcluir
  9. Julio, querido!
    Feliz páscoa!
    Tambem estou com muita saudade...
    Como sempre, lindas letrinhas...

    beijocas

    ResponderExcluir
  10. Oi! Feliz Páscoa!

    Escrevestes muito bem, essas são as armas que precisamos usar,na grande luta que enfrentamos na nossas vidas, usar tolerância, paciência.

    Parabéns! Escreves com essência!

    =)

    ResponderExcluir
  11. Beleza de poema, poeta Julio. Numa linguagem popular, eu diria que trata-se de um belo e poético "jogo de cintura". Item importante para driblarmos as dificuldades da vida.
    Parabéns!!

    Um abraço e um bom finalzinho de domingo de Páscoa.

    ResponderExcluir
  12. Demais amigo!!!

    Nossa guerra interna está em constante mutação!!!

    Um beijo e linda semana pra vc!!

    ResponderExcluir
  13. As armas certas são vitais para se fazer uma guerra justa.

    beijos e boa semana pra ti querido!

    ResponderExcluir
  14. sei bem como é se lutar por sua propria sobrevivencia espiritual cada segundo<ll

    ResponderExcluir
  15. ===

    Sim, sim e sim! Os caminhos da virtude passam pelos muitos vales de conhecimento por dentro de nossos labirintos. É conhecer-se e, como reflexo, sorrir com a alma em cada gesto. O que tiver que ser da cara pra fora será apenas projeção dos processos de conhecimento dentro de nós! Por isso não pode ser um contraponto, mas o chão que nos mantem o ser! “Essência” foi tua palavra. Foi por isso que iniciei com o ‘sim’!

    Abraços daqueles essenciais como retribuição pela visita por lá!

    ===

    ResponderExcluir
  16. Somos compostos de urgências, incertezas e amores.
    Cada pedaço milimetricamente calculado para nos construir e ainda assim não nos sentimos completos.

    Bjos,

    Keli

    ResponderExcluir
  17. Ah, me ajuda a escolher um lugar pra viajar, postei uma enquete com as opções dos lugares na coluna ao lado direito do meu blog, logo acima... A escolha de vcs será o meu destino...Ta bom?

    Obrigadoooooo...

    ResponderExcluir
  18. E quando a guerra ainda estar por começar, força muita força!

    beijos ;)

    ResponderExcluir
  19. Exercício da paciência, requer perseverança. Mas as vezes sentimo-nos ressequidos, como cisternas rotas.Nesse momento é hora de buscar uma fonte superior, uma fonte de águas vivas, fonte inesgotável e perene, o inventor da paciência: Jesus.
    Adorei as linhas, amigo.
    bjokas

    ResponderExcluir
  20. nao há guerra maior - pra mim - do que a contra a ansiedade.

    :)

    ResponderExcluir
  21. Que poema forte, corta... dói. Verdade maravilhosa em palavras.
    adorei.

    Beijoo sumido, saudades viu? rs

    ResponderExcluir