O que podes dizer?

Quando você vem?
De verdade, quando é?
Já te espero há tanto tempo
Num instante, destempero
Sorumbático me percebo
Que ainda estou a desejar

Mas quando você vem?

Dia desses, de pé no sol
Ou com o costumeiro vento no rosto
Ainda esqueço-me de querer
Sem perceber que é impossível
Demasiada é essa vontade
Que você sabe muito bem

Mas então,
Quando é que você vem?

15 comentários:

  1. Seria este o chamado que espero?
    será que...

    Pegue a garrafa com o recado, perdi-me em meus pensamentos
    http://www.youtube.com/watch?v=KRUBx1xDRio

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Eu quis dizer: " peguei a garrafa com o recado e ao ler , perdi-me em meus pensamentos...

    ResponderExcluir
  3. Quando a espera cansa, o melhor é ir buscar.

    Um beijo

    ResponderExcluir
  4. obrigada pelo seu comentário no blogue
    abraço recebido
    beijo
    Laura

    Ah, um dia acaba por vir

    ResponderExcluir
  5. A ansiedade , não deixa o tempo passar, aí a demora fica maior ainda.
    abração

    ResponderExcluir
  6. Tomara que venha logo..........ai,,ai
    Julito meu graaaaaaaannnnde amigo ....
    sordade docêeeeeeee
    amo essas sinapses...
    beijos

    ResponderExcluir
  7. Não durmo com a ansiedade da espera...

    ... Abração...

    ResponderExcluir
  8. Ah!!!

    O tilintar dos sinos, o tic tac demorado das horas, esse breve instate que custa a chegar... enquanto isso permece suspirando.

    Bjos,

    Keli

    ResponderExcluir
  9. Se chegar... a espera é gratificante.

    Qto tempo hein Júlio que não vinha aqui?

    Bom domingo.

    beijooo.

    ResponderExcluir
  10. Dá uma música..
    perfeito!!!
    Um abraço amigo!
    Juliana

    ResponderExcluir
  11. E quem não já viveu uma espera assim? Lindo poema Julio!

    ResponderExcluir
  12. Me identifiquei com o poema. Como vai ? Nunca mais apareceu pelo meu blog...!Grande abraço!

    ResponderExcluir