Consciência Humana


...
A minha cor
É coração
[de iguais e diferentes]
É pele quente
É cor de gente
É simples
[humano]
Simplesmente
...


20 de Novembro | Dia Nacional da Consciência Negra

Um conto, várias histórias





...
Pra sempre ficará
Quando ainda faz sentido
[sentindo]
Faz-se caminho
De eternos laços
[emaranhados]
Vez serena
Outra, intempestiva
Carne e razão
Minha vida
...

Idas e vindas








...
Olhei as flores caídas
Cantei canções esquecidas
Lembrei das cores dormidas
Na voz rouca
O silêncio
Em todas as partes
[partida]
...

Onde estaria?






...
Cheguei até aqui
Tropeçando
É bem verdade
Mas, andando
[seguindo em frente]
Sem saber pra onde era
Onde estava
Quem me dera
...



Ficou para o amanhã




...
Foi desmarcado mais uma vez
E mais uma vez fiquei marcado
[cansado]
Desses encontros desencontrados
Que vez e outra me fazem entristecer
...

Tempo certo






...
A hora que eu chegar
Eu saio
Ensaio
Outras tantas chegadas
[saídas]
Tardias
Que o tempo faz chegar
...

Mãe Negra


...
Sai de casa para encontrar mãe negra
Sem saber que pra isso saía
Um encontro tramado pela esperança
Na certeza da fé santa
 Que faz o lamento cessar
Sai de casa para encontrar mãe negra
Sem saber que pra isso saía
Alimentei-me de mãe negra
Que nem sequer sabia
...

Amplificador



...
Ouvi o pé no chão
De tão surdo que fiquei
Nem pensei saudades
[nem naquelas tardes]
Que um dia suspirei
Ouvi maldades
[reação]
Nada convém 
...

Depois das dez

...
Quando aqui fico
[sentido a presença constante da tua falta]
Ainda que sentimentos desconexos floresçam
E não consiga dominá-los
Meu único desejo é envolver-me em teus braços
...
Pode ser coisas de Platão
[o que transcende]
Ou apenas um lamento
O reflexo prático da solidão

Sintonizando


...
Hesito
[não insiste]
Na sombra somos só orgulho
Escondido entre escombros
Entre pesadelos
Passados
E seus contornos
Insisto
[não hesite]
Diferente é o presente
Desnudo
Ardente
...


Pelos caminhos da vida





...
Cada minuto vale a pena
Valeu a pena
[não distorce]
O mundo segue girando
Guardando encontros
E desencontros
Trazendo o novo
Ou de novo
E talvez
O mesmo pranto
Um novo sorriso
O mesmo encanto
...

Amizade colorida



...
Esse desejo tem gosto puro do oposto
[de igualdades sem fim]
Onde me perco completamente
Sem detalhes, complicações
São corpos ardentes
Com prazeres afins
...

Convivência

...
A saudade passou aqui
Apertou meu coração
[...]
Por onde anda, solidão
Aquele abraço
Aquela mão
[?]

Muito além

...
O que eu posso esperar?
Um abraço, um sorriso, a lembrança
Eu não quis guardar mais nada no coração
Mas, do que adianta insistir
Se é de lá que vem a ordem
Que não me deixa esquecer
Que faz sempre querer saber
Se você está segura
Eu tentei fazer de tudo
Pra você não se sentir sozinha
Diferente ou perdida
Eu tentei e fui além
Perdendo minhas asas pelo caminho
Não sei o que saiu errado
Estava tudo combinado
Eu tentei fazer de tudo
Pra você nunca se sentir sozinha